Posted tagged ‘prefeitura’

E o calçadão, como vai?

20/05/2010

por Bruna Lima

Parece que chegou a hora da verdade. Depois de concluir a primeira etapa da obra, ouvir críticas em relação ao novo projeto e entrar num conflito (que ainda não acabou) com os donos de quiosques instalados no calçadão, a Prefeitura de Londrina decidiu por em prática uma atitude consciente: ouvir a voz do povo. A partir de segunda-feira (24) será realizada uma pesquisa popular para avaliar o nível de aprovação do público em relação as reformas realizadas até agora.

A enquete terá duração de uma semana (com exceção do domingo) e serão entrevistados aqueles que circularem entre as ruas Pernambuco e Prefeito Hugo Cabral no horário das 9 as 17 horas (segunda a sexta) e das 9 as 12 horas (sábado). O povo deve responder se gostou do novo projeto, se prefere o novo visual ao antigo e se considera o novo piso mais seguro para os pedestres. Será instalada uma urna para voto no trecho do calçadão que já foi reformado.

A aprovação popular é mais um passo e uma tentativa do atual prefeito Barbosa Neto para comprovar sua teoria de que a reforma do calçadão é bem aceita pelo cidadão londrinense, rebatendo todas as críticas feitas até agora ao novo projeto. De qualquer modo os resultados dessa pesquisa devem ser cruciais para saber se as obras irão prosseguir tranquilamente, se sofrerão mais resistência ou até se pode haver uma possível redefinição do projeto do calçadão.

via Bonde

Um ano de Economia Barbosa Neto

01/05/2010

Por Ana Soranso

O Prefeito de Londrina, Barbosa Neto, chegou ao primeiro ano de seu mandato. Após uma eleição caótica e confusa, avalia-se como anda a administração economica do candidato eleito pelo “terceiro turno”.

Os recursos arrecadados dos governos Federal e Estadual geram uma soma de R$360 milhões de reais. Sendo R$149 milhões para habitação, R$80 milhões para Saneamento Básico, R$36 milhões para infra-estrutura, R$36 milhões para recuperação de asfaltos e obras urbanas, R$1milhão para Biblioteca Municipal e a Agricultura, R$16 milhões voltados à educação, R$ 5,1 milhões para construção de Pronto Atendimento e R$37 milhões para a readequação da BR-369.

A maior parte desta verba ainda não foi aplicada, mas as propostas de administração dessa verba são:

A maior parte da aplicação dos investimentos será em construções urbanas

  • Garantir 94% da cidade com esgoto tratado;
  • Construir a Praça da Juventude na região sul; a Praça da Juventude na região Norte; a construção de 67 quilômetros de ciclovias por toda a cidade; a construção de Unidade de Saúde na Vila Ricardo; a reforma de Unidade de Saúde no Ouro Branco; a transposição do Ribeirão Quati, na avenida Olavo Benato, jardim Alpes 3, região norte; a transposição na avenida José Del Ciel, no jardim Imagawa; reforma e adequação do Moringão; aquisição da patrulha mecanizada, com instrumentos e maquinário para a manutenção de estradas rurais;
  • Construção do viaduto na esquina da JK com Higienópolis;
  • Construir o primeiro Centro de Educação Profissionalizante, que será instalado na zona norte, atendendo 3.900 alunos; construção dos três novos Centros de Educação Infantil que vão atender 1.500 crianças.
  • Uma unidade de Pronto Atendimento de Saúde (UPA) 24 horas, que será instalada na região oeste;
  • Uma unidade de Pronto Atendimento que vai atender, estrategicamente, toda a região da cidade, mas instalada na zona central;

Não se pode negar que o prefeito Barbosa Neto em seu primeiro ano de mandato conquistou muito investimento. Agora o que os cidadãos londrinenses esperam é a aplicação concreta desta verba nas propostas acima previstas.

Muito além do calçadão

01/05/2010

por Bruna Lima

 

Após um ano, é visível o fato de que a administração do prefeito Barbosa Neto já enfrentou vários altos e baixos e diversas polêmicas. A mais recente delas, referente a questão do planejamento urbano, envolve o calçadão central de Londrina: a reforma, que começou no final do ano passado, já teve sua primeira parte concluída mas ainda parece gerar muitas polêmicas.

reforma no calçadão ainda provoca dúvidas

O objetivo da reforma do calçadão seria revitalizar o local, eliminar os (visíveis) buracos que frequentemente provocam transtornos, melhorar a acessibilidade para cadeirantes, por exemplo e de quebra “regularizar” a situação dos ambulantes que ocupam o lugar. A confusão se iniciou quando donos de quiosques foram intimados a sair dali pela Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização (CMTU). E com a primeira etapa da reforma concluída, vieram as críticas: o novo piso tiraria a “originalidade” do calçadão, seria muito escorregadio em dias de chuva…

mudança no Terminal causou expulsão dos ambulantes

Barbosa Neto se defende e garante que a maioria da população só faz elogios ao novo projeto do calçadão. De fato percebe-se que, pelo menos a princípio, é difícil agradar a todos. Mas as mudanças (e polêmicas) do governo Barbosa Neto vão um pouco além do calçadão. Podemos destacar a reforma em volta do Terminal Central, na rua Benjamin Constant, que tem como objetivo justamente embelezar e facilitar o acesso de deficientes, e obrigou a retirada (com a garantia de um novo ponto de comércio, segundo a CMTU) dos ambulantes que ocupavam o local há anos.

Saindo dos limites centrais da cidade e alcançando outros pontos de Londrina é possível notar que outras mudanças foram postas em prática. A continuação da operação tapa buraco, de recuperação asfáltica da cidade, que começou em pontos centrais e agora se expande para as periferias, é um exemplo. A poda de árvores (também alvo de discussão e críticas) e a troca da iluminação da cidade, cujo objetivo seria melhorar o trânsito e garantir a segurança noturna, também já foram iniciados.

reforma nos asfaltos deve melhorar o trânsito

Mas ainda há muito o que se fazer. As reformas atuais aparentemente vão bem, obrigado, mas nessa área ainda há muitas necessidades a serem supridas tanto no centro da cidade quanto nas periferias. É importante que a administração atual não faça vista grossa a esses problemas e prossiga com o possível para a melhorar a qualidade de vida da população no aspecto do planejamento urbano. E ao que tudo indica, o segundo ano do governo de Barbosa Neto promete trazer mais reformas e consequentemente, mais polêmicas.

Saem os quiosques, entra a “Cidade Limpa”

10/04/2010

por Bruna Lima

E a Lei Cidade Limpa implantada em Londrina na gestão atual do prefeito Barbosa Neto segue firme em seus objetivos. Nesta semana o calçadão da cidade foi palco da mais recente iniciativa do projeto, cujo objetivo é “despoluir” Londrina do excesso de propagandas – como aqueles outdoors gigantes ou anúncios pintados em muros.

 Na manhã de quinta-feira a lanchonete Chope Grill, na esquina da rua professor João Cândido e da avenida Paraná, foi desconstruída. A Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização (CMTU) já havia solicitado aos proprietários dos 38 quiosques localizados no calçadão que se retirassem, para que a reforma pudesse ser realizada.

A revitalização do espaço do calçadão é uma das propostas do Cidade Limpa. Segundo o diretor administrativo-financeiro da CMTU,  André Nadai, a ideia é reconstruir o que está danificado, facilitar o acesso para cadeirantes e reinstalar cerca de 20 novos quiosques naquela área.

A CMTU ainda ressalta que não houve resistência dos proprietários dos quiosques para desocupar o calçadão, facilitando o início das atividades de reforma. Para saber mais sobre o andamento e os objetivos do projeto Cidade Limpa em Londrina, acesse o link da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (FIEPR), que dá informações detalhadas sobre o assunto.

via Portal Londrix

O pão de cada dia. Ou o arroz, o feijão, a salada…

19/03/2010

por Bruna Lima

Algum tempo atrás, em conversa com uma amiga sobre as opções de alimentação para o cidadão londrinense, questionei se aqui não havia um desses restaurantes populares, que costumam oferecer refeições completas e nutritivas a preços econômicos. Na época minha amiga não soube responder, mas essa semana minha dúvida foi esclarecida: a Prefeitura de Londrina anunciou a construção do primeiro restaurante popular da cidade.

Eu já conhecia um pouco o funcionamento desses restaurantes: refeições balanceadas (e, dizem, bastante saborosas), com direito a suco e frutas, a preços populares. O restaurante popular de Londrina, parceria entre a Prefeitura e o governo federal do Paraná, terá como modelos dois estabelecimentos já em funcionamento em Curitiba, que utilizam esquema semelhante. O ministro do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), Patrus Ananias, assinou ontem um convênio liberando 1,4 milhões de reais, enquanto a prefeitura entrará com um investimento de 280 mil reais.

Em geral, os restaurantes populares são instalados em cidades com população de mais de 100 mil habitantes. Segundo o prefeito Barbosa Neto (PDT), o restaurante que ficará na área central de Londrina é o primeiro de vários que devem ser construídos nos próximos anos. O estabelecimento, embora tenha capacidade para 5 mil refeições, deve servir cerca de mil por dia. O preço médio da refeição, para a população, deverá sair pelo valor aproximado de 1 real.

Os maiores beneficiados pelo novo restaurante com certeza serão os trabalhadores formais e informais, desempregados, estudantes, aposentados, moradores de rua e famílias de baixa renda. A mobilização para criação do restaurante popular em Londrina começou no ano passado, durante a gestão do prefeito José Roque Neto (PTB). No entanto, devido a um atraso no envio da proposta do trabalho ao MDS o projeto foi adiado. Mas agora, para satisfação de grande parte dos londrinenses, parece que finalmente o restaurante sairá do mundo das estratégias e será materializado no prato de cada cidadão.

via Portal Londrix