Posted tagged ‘Fórmula 3 Sulamericana’

Organizadores da F3 Sulamericana confirmam etapa em Londrina

25/03/2010

Por Leonardo Felix

Acaba de ser confirmada hoje (25) por organizadores da Fórmula 3 Sulamericana, em visita a Londrina, a realização de uma etapa da categoria no autódromo internacional Ayrton Senna. A etapa da F3 – que sempre tem duas baterias de provas – vai ser em 16 e 17 de outubro, junto com o Campeonato Metropolitano de Marcas, prova regional que há anos é disputada. Será a penúltima de nove corridas duplas, e, provavelmente, conforme explicou o organizador, Dilson Motta, “será o momento de definição do título”.

É a primeira vez que a F3 Sulamericana vem a Londrina, desde sua criação em 1987. Graças ao trabalho de Dilson Motta, a categoria tenta voltar a ter o status que teve um dia, quando revelou bons nomes ao mercado internacional. Hoje, o nível técnico de pilotos e equipes é insatisfatório, com um agravante: quem tem mais suporte e grana vence facilmente a competição, o que indica a falta de criatividade e “talentos natos”. De qualquer forma, parabéns, porque a Fórmula 3 sulamericana é um oásis no meio do deserto que virou a base de monopostos (carros com “rodas expostas”, vide Fórmula 1) no Brasil.

Menções honrosas à atuação ridícula da Confederação Brasileira de Automobilismo (CBA) que há anos se mantém omissa e só preocupada em arrecadação e com a Stock Car (que ainda consegue gerenciar mal, diga-se. Nessa toada, o automobilismo brasileiro capenga. Temos apenas 13 autódromos e quase todos (exceção a Interlagos) estão em condições melancólicas. Para melhorar, Jacarepaguá, no Rio de Janeiro, que tinha um baita traçado, apesar da falta de estrutura que lhe tirou a F1 no fim dos anos 80, foi meio mutilado para os Jogos Panamericanos de 2007, e agora terá sua outra metade destruída, para as Olimpíadas de 2016.

Quanto a Londrina, o autódromo Ayrton Senna também periclita. Tirando os focos de dengue encontrados no local, o traçado é acanhado, estreito, as áreas de escape são horríveis e perigosas e o asfalto apresenta até rachaduras. Por isso, mesmo com tão poucas opções, a Stock Car só corre aqui quando não há outra solução. A pista não comporta categorias como Stock e Fórmula Truck, e talvez seja incapaz também de abrigar a estrutura da F3 Sulamericana. O pior é saber que a grande maioria dos circuitos compactua da mesma claudicaria, e que nada tem sido ou será feito para melhorar a situação.

Mais sobre a Fórmula 3 Sulamericana aqui. E sobre os autódromos brasileiros, aqui.