Archive for the ‘Política’ category

Paixão knarinha

22/06/2010

Além da COPA

22/06/2010

Por Ana Soranso

A COPA do Mundo está acontecendo, mas não só!

Algumas notícias acabam ofuscadas pelo brilho de tantas estrelas reunidas na África do Sul. Mas uma das maiores estrelas da Literatura Mundial não deve ter seu brilho apagado. Mesmo que a COPA tente lhe tirar esse mérito.

 Morreu no dia 18 de junho de 2010 o escritor, argumentista, jornalista, dramaturgo, contista, romancista e poeta português José SaramagoEnquanto Eslovênia e EUA empatavam em 2×2, Inglaterra e Aregélia ficavam no 0x0 e  a Sérvia ganhava de 1×0 da Alemanha, o escritor português José Saramago aos 87 anos nos deixava.

 Saramago estava em casa, na localidade de Tias, na ilha espanhola de Lanzarote, vítima de leucemia crônica, quando seu editor, Zeferino Coelho, confirmou a morte: “Aconteceu há pouco”, disse, recordando que o Nobel da Literatura “estava doente há algum tempo, às vezes melhor, outras vezes pior”.

 O autor de “Ensaio sobre a Cegueira” estava em casa, acompanhado da mulher e tradutora, Pilar del Río. Ele havia passado uma noite tranquila e, após tomar café e conversar com Pilar, começou a sentir-se mal. Por volta de 13h (8h de Brasília), faleceu.

 O seu funeral teve Honras de Estado, tendo o seu corpo sido cremado em Lisboa.

 Debeladas as controvérsias a que nunca se furtou e que interventivamente procurava, a marca que ficará na mente e coração do Povo Português e de todo o mundo será o legado que José Saramago deixará e isso compete à história e à nós decidir.

 

 Um pouco mais sobre Saramago

 Foi galardoado com o Nobel de Literatura de 1998. Também ganhou o Prémio Camões, o mais importante prémio literário da língua portuguesa. Saramago foi considerado o responsável pelo efetivo reconhecimento internacional da prosa em língua portuguesa.

 O seu livro Ensaio Sobre a Cegueira foi adaptado para o cinema e lançado em 2008, produzido no Japão, Brasil e Canadá, dirigido por Fernando Meirelles (realizador de O Jardineiro Fiel e Cidade de Deus). Em 2010 o realizador português António Ferreira adapta um conto retirado do livro Objecto Quase, conto esse que viria dar nome ao filme Embargo, uma produção portuguesa em co-produção com o Brasil e Espanha.

 Nasceu no distrito de Santarém, na extinta província do Ribatejo, no dia 16 de Novembro, embora o registo oficial apresente o dia 18 como o do seu nascimento. Saramago, conhecido pelo seu ateísmo e iberismo, foi membro do Partido Comunista Português e foi director-adjunto do Diário de Notícias. Juntamente com Luiz Francisco Rebello, Armindo Magalhães, Manuel da Fonseca e Urbano Tavares Rodrigues foi, em 1992, um dos fundadores da Frente Nacional para a Defesa da Cultura (FNDC). Casado com a espanhola Pilar del Río, Saramago viveu na ilha espanhola de Lanzarote, nas Ilhas Canárias.

 

Stédile em visita à UEL – debate e perspectivas

26/05/2010

Por Luiza Calegari

João Pedro Stédile, coordenador nacional do MST. Foto por Luiz Jacobs

O coordenador nacional do Movimento dos Sem-Terra (MST), João Pedro Stédile, esteve ontem em Londrina, cumprindo agenda. Além de visitar a Câmara Municipal de Vereadores e ser recepcionado pelo prefeito Barbosa Neto, Stédile concedeu entrevista à Rádio Universidade FM (para ouvir na íntegra, clique aqui) e participou do debate “O movimento político atual e os desafios da militância social para o próximo período”, no anfiteatro do Cesa, também na UEL.

Em sua fala no debate, o líder político abordou aspectos teóricos sobre a luta de classes, que, de acordo com alguns estudiosos, intercala momentos de ascensão e retração. Em relação ao momento atual vivido pelo país, principalmente sob a ótica da gestão do presidente Lula, Stédile afirma que a situação é de equilíbrio: o presidente conseguiu aglutinar representantes de diversas classes, o que amenizou o conflito.

Além disso, Stédile chamou atenção para o fato de que os meios de comunicação social são hoje controlados pela burguesia brasileira, e que não há uma disputa clara de projetos, tanto por parte da classe dominante quanto por parte dos trabalhadores. Neste contexto, as eleições não representariam embates entre projetos de classe, mas por espaço político. Ele ainda alfinetou certos setores da esquerda, ao afirmar que, para fugir de utopias doutrinárias socialistas, é necessário conjugar a luta institucional com a luta social.

Para tanto, o coordenador do MST apontou três caminhos de atuação: o primeiro, seria entender e atuar no processo eleitoral; o segundo, construir um projeto de classes alternativo, que se adapte ao momento atual, priorizando a luta ideológica (o que, de acordo com ele, já está sendo feito pela direita); e, por fim, investir na formação de militantes. Depois da exposição, João Pedro Stédile respondeu às dúvidas de estudantes e professores durante cerca de uma hora.

Eleições 2010: Conheça os pré-candidatos

23/05/2010

Por Soraia Barros

O pré-candidato de hoje é José Serra do PSDB, que lançou sua candidatura em abril. Veja o ponto de vista sobre as questões brasileiras do defensor do programa de “aceleração da saúde”:

De boas intenções o inferno está cheio

23/05/2010

Projeto “Ficha-Limpa” aprovado na última quarta-feira esconde sob a máscara da moralidade sua verdadeira face

Por Soraia Barros

Com mais de dois milhões de assinaturas, apoio da OAB, e votação quase unânime da câmara de deputados e senado, foi aprovado o Projeto “Ficha Limpa” , neste último dia 19.  Com a aprovação do projeto tem-se algumas modificações na lei de inegibilidade.  A lei de inegibilidade foi criada em 1990 como uma regulamentação da Constituição Federal de 1988. Ela prevê proteção da probidade administrativa  e da moralidade  para o exercício de um mandato, considerando a vida pregressa do candidato. O projeto Ficha Limpa prevê que candidatos, independentemente do cargo, que tenham cometido crimes eleitorais, atentado contra a vida ou a propriedade privada podem ficar por oito anos inelegíveis. Se na lei atual a punição era aplicada depois que o candidato passasse por todas as instâncias e ainda assim fosse condenado, agora aquele que for punido em segunda instância já não poderá concorrer por oito anos às eleições.

As mudanças propostas pelo Ficha Limpa , apesar de aparentemente bem intencionadas, já chegaram com caráter inconstitucional. Ela ameaça o artigo 5º da Constituição que a grosso modo coloca a “presunção de inocência”.  Com a ortogação do “Ficha Limpa” tem-se o meio termo da presenção de culpa.  Mesmo sendo inocente o cidadão poderá ser  tolido de seus direitos civis.

Tal configuração da lei merece uma reflexão histórica. Durante o regime militar foi criada a Emenda Constitucional nº 1 e a Lei Complementar nº 5 que estabelecia a cassação de mandato e inegibilidade por vida pregressa. E detalhe: sem sentença condenatória em última instância. Logicamente, esses mecanismos da lei eram usados para coibir ações de políticos e partidos que iam contra ao regime ditatorial que vigorava no país. Para entender o hoje e pensar no futuro basta observar o passado. Dessa maneira, a pergunta que fica é: Qual é a situação dos ativistas políticos pertencentes a movimentos sociais no Brasil com o  “Ficha Limpa”? Militantes de movimentos como MST e de forças sindicais tem uma ficha repleta de processos e condenações. Fruto da opressão do Estado às manifestações das classes subalternas. Como fica a situação dessas pessoas que pagam o preço por sua luta diária em favor das minorias? Terão elas os seus direitos tolidos? Fica aí a pergunta. A resposta veremos nos próximos anos. Tem gente, que já tem uma previsão de um futuro sombrio para a democracia no país: “Se o tal projeto Ficha Limpa for aprovado, o que vai ter de político sendo processado criminalmente só para ser tornado inelegível…”, prevê o professor de Direito Penal da  UFMG  Túlio Viana. 

* Esse texto foi adaptado do artigo de Marco Aurélio Weissheimer “Ficha limpa é projeto demagógico, autoritário e flerta com o fascismo (a lição italiana)”.

Alterações no projeto Ficha Limpa ajudam candidatos

21/05/2010

Por Kauana Neves

O Projeto Ficha Limpa só vale para candidatos condenados após a sanção da nova lei pelo presidente Lula. Políticos como Paulo Maluf (PP), candidato à reeleição na Câmara, estão livres para concorrer à disputa eleitoral de outubro. A modificação feita no texto, na parte sobre a concessão de registro, substituiu a expressão “os que tenham sido condenados” pela “os que forem condenados”. De acordo com o relator da matéria na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), senador Demóstenes Torres (DEM), os candidatos condenados antes da aprovação da lei ainda podem ser punidos com base na atual Lei de Inelegibilidade.

O Projeto Ficha Limpa é uma iniciativa do Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE) que conseguiu mais de 1,6 milhão de assinaturas para a aprovação do projeto de lei. O texto proíbe por oito anos a candidatura de políticos condenados na Justiça – mesmo que o processo não tenha sido concluído.

Requião livre para disputar o senado

20/05/2010

Por Kauana Neves

Após a ameaça de não poder disputar as eleições de outubro, o ex-governador do Paraná Roberto Requião (PMDB) está livre para concorrer ao senado. A Corte do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) julgou improcedente a acusação de abuso do poder político e uso em benefício próprio dos meios de comunicação –  rádio e  TV Educativa – por parte do ex-governador.

 O processo foi arquivado depois que o TRE interpretou que não há elementos para levar o processo adiante e que não houve ilegalidade na participação de Requião nos eventos promovidos pelo governo do estado (ele esteve presente como um cidadão qualquer).

Seu sobrinho João Arruda, ex-diretor da Cohapar e candidato à Câmara, também era investigado. De acordo com o advogado dos peemedebistas, Guilherme Gonçalves, os dois estão livres para disputar o Senado e a Câmara.