Archive for the ‘Cultura’ category

Paixão knarinha

22/06/2010

Além da COPA

22/06/2010

Por Ana Soranso

A COPA do Mundo está acontecendo, mas não só!

Algumas notícias acabam ofuscadas pelo brilho de tantas estrelas reunidas na África do Sul. Mas uma das maiores estrelas da Literatura Mundial não deve ter seu brilho apagado. Mesmo que a COPA tente lhe tirar esse mérito.

 Morreu no dia 18 de junho de 2010 o escritor, argumentista, jornalista, dramaturgo, contista, romancista e poeta português José SaramagoEnquanto Eslovênia e EUA empatavam em 2×2, Inglaterra e Aregélia ficavam no 0x0 e  a Sérvia ganhava de 1×0 da Alemanha, o escritor português José Saramago aos 87 anos nos deixava.

 Saramago estava em casa, na localidade de Tias, na ilha espanhola de Lanzarote, vítima de leucemia crônica, quando seu editor, Zeferino Coelho, confirmou a morte: “Aconteceu há pouco”, disse, recordando que o Nobel da Literatura “estava doente há algum tempo, às vezes melhor, outras vezes pior”.

 O autor de “Ensaio sobre a Cegueira” estava em casa, acompanhado da mulher e tradutora, Pilar del Río. Ele havia passado uma noite tranquila e, após tomar café e conversar com Pilar, começou a sentir-se mal. Por volta de 13h (8h de Brasília), faleceu.

 O seu funeral teve Honras de Estado, tendo o seu corpo sido cremado em Lisboa.

 Debeladas as controvérsias a que nunca se furtou e que interventivamente procurava, a marca que ficará na mente e coração do Povo Português e de todo o mundo será o legado que José Saramago deixará e isso compete à história e à nós decidir.

 

 Um pouco mais sobre Saramago

 Foi galardoado com o Nobel de Literatura de 1998. Também ganhou o Prémio Camões, o mais importante prémio literário da língua portuguesa. Saramago foi considerado o responsável pelo efetivo reconhecimento internacional da prosa em língua portuguesa.

 O seu livro Ensaio Sobre a Cegueira foi adaptado para o cinema e lançado em 2008, produzido no Japão, Brasil e Canadá, dirigido por Fernando Meirelles (realizador de O Jardineiro Fiel e Cidade de Deus). Em 2010 o realizador português António Ferreira adapta um conto retirado do livro Objecto Quase, conto esse que viria dar nome ao filme Embargo, uma produção portuguesa em co-produção com o Brasil e Espanha.

 Nasceu no distrito de Santarém, na extinta província do Ribatejo, no dia 16 de Novembro, embora o registo oficial apresente o dia 18 como o do seu nascimento. Saramago, conhecido pelo seu ateísmo e iberismo, foi membro do Partido Comunista Português e foi director-adjunto do Diário de Notícias. Juntamente com Luiz Francisco Rebello, Armindo Magalhães, Manuel da Fonseca e Urbano Tavares Rodrigues foi, em 1992, um dos fundadores da Frente Nacional para a Defesa da Cultura (FNDC). Casado com a espanhola Pilar del Río, Saramago viveu na ilha espanhola de Lanzarote, nas Ilhas Canárias.

 

Os compadres

09/06/2010

Por Auber Silva

Eles são símbolos do futebol de seus países. Para quem acompanha o esporte bretão, esses dois jogadores podem ser considerados uma verdadeira antítese, o exemplo magno da democracia futebolística, responsável esta por unir no mesmo espaço jogadores com talentos opostos. Mas é inegável o espírito vencedor destes dois ex-atletas: ambos conseguiram levar a taça para seus compatriotas e ainda tiveram o privilégio de erguê-la com o gesto imortalizado pelo brasileiro Bellini. As semelhanças e peculiaridades não param por aí: eles estão na Copa do Mundo da África do Sul no comando dos selecionados nacionais que os consagraram.

Se você não sabe quem eles são, provavelmente o seu interesse pela competição esportiva mais importante do planeta seja mais baseado em outros departamentos que não o jogo em si. Todo caso, Carlos Caetano Bledorn Verri e Diego Armando Maradona são os nossos personagens. Mas o que os torna tão especiais?

Voltemos um pouco no tempo. Em 1994 Dunga era o capitão da seleção brasileira campeã mundial nos Estados Unidos. O seu período de atuação com a amarelinha foi batizado de ”Era Dunga”, pela crescente importância dada ao jogo pragmático e coletivo, balizado pelo espírito de batalha e que muitas vezes pecava no quesito qualidade técnica. Para o bem ou para o mal, Dunga está de volta, agora no comando técnico da Canarinho, e muitos especialistas consideram que o time por ele montado retomará aquelas características que fizeram, no final das contas, Galvão Bueno esgoelar-se e um membro da comissão técnica protagonizar momentos de extrema destreza circense.

Do outro lado, temos Maradona. El Pibe é avaliado pela maioria como o segundo maior jogador de futebol de todos os tempos, atrás do Rei Pelé. De fato, suas conquistas com o Boca Juniors, Nápoli e seleção argentina o credenciam. Em 1986 o selecionado rioplatense sagrou-se campeão mundial pela segunda vez e quem carregou o piano para os hermanos foi ele, Dieguito. Como Dunga, ele era o capitão da equipe. Diferente de Dunga, sua técnica apurada foi fundamental para a conquista do caneco. Retornando às vésperas da bola rolar na terra de Mandela, Maradona indica que a Argentina pretendida por ele será um time ofensivo, que tentará recriar em Messi o El Pibe que encantou o México.

Mas, enfim, o que aproxima esses dois personagens é a possibilidade de um deles ingressar no seletíssimo rol de campeões mundiais como jogador e técnico. Neste clube há apenas dois membros atualmente: O Kaiser Beckenbauer ( como atleta em 1974 e como treinador em 1990) e o incansável Velho Lobo Zagallo (jogando em 1958 e 1962 e comandando no Tri de 1970).

As cartas estão na mesa, e os cruzamentos permitem uma inédita e deliciosa decisão entre Brasil e Argentina, Dunga e Maradona. Será que algum dos dois conseguirá a marca histórica?

Conexões Gastronômicas

21/05/2010

Por Auber Silva

Em homenagem ao célebre Festival de Cannes, que ainda está em curso na cidade homônima, as conexões misturarão cinema e culinária. Divirta-se.

Spaghetti Western

Apelido dado ao gênero que compreendia os filmes de faroeste produzidos por diretores italianos nas décadas de 60 e 70. Geralmente, as gravações ocorriam em locações do sul espanhol devido à semelhança destas com o oeste americano. Esse caráter cosmopolita era confirmado com a formação dos elencos, que misturavam atores de diversas nacionalidades. O diretor símbolo deste viés cinematográfico é Sérgio Leone, cujo debute foi com…

…Por um Punhado de Dólares

Marcante obra de 1964, responsável pelo crescimento da popularidade dos “Spaghetti Westerns” e por dar ao cinema um dos personagens mais durões jamais vistos. Ele é auxiliado pelo simpático Silvanito – que na trama se transforma em uma versão faroeste de Sancho Pança, fornecendo inclusive provisões e abrigo – e sua história é um grande mistério. A única coisa que se sabe é que o invencível “Pistoleiro sem nome” só poderia ser vivido pelo emblemático Clint Eastwood. O ator deu contornos aos filmes de ação da época, e suas interpretações puderam ser desfrutadas por diferentes gerações até o seu último filme…

…Gran Torino

Anunciado como o ponto final de uma longa carreira de atuação, ”Gran Torino” traz um Eastwood ainda em forma, desempenhando com brilhantismo o papel de um veterano da Guerra da Coréia em conflito com as mudanças culturais de seu bairro. A ironia fica por conta dos seus vizinhos: os peculiares hmongs. Esse estranhamento fica claro quando o personagem começa a socializar com os membros daquela cultura. Um dos pontos de virada neste embate, pasmem, é a comida preparada pelas senhoras asiáticas. Mas esta não é a única película com boas cenas envolvendo comida. Um exemplo é uma das obras-primas da 7ª arte,…

 …O Poderoso Chefão

A narrativa de Mario Puzo não é novidade para ninguém. Muito menos o excepcional trabalho do cineasta Francis Coppola, que trouxe às telonas as raízes da máfia ítalo-americana. Este tipo de organização criminosa é sempre lembrado pela valorização da família e pelas formas pouco convencionais de despachar os desafetos. Até um cannoli já participou de uma cena de execução. Mas voltando ao mundo hollywoodiano, ”O Poderoso Chefão” é indelevelmente o dono do mérito de ter oferecido ao mundo Al Pacino, que entre vários longas protagonizou…

 … Um Domingo Qualquer

Al Pacino interpreta um saborosamente anacrônico técnico de futebol americano (Tony D’Amato), que tenta sem muito sucesso inculcar aos jovens atletas conceitos e valores esportivos de outros tempos. Para isso, ele usa exemplos de jogadores do passado e muita conversa com elevada carga emocional. Um destes momentos é quando Tony convida a estrela mais promissora do time para um jantar em sua casa. Na pauta de assuntos, a necessidade do jogador aprender a participar do jogo coletivo da equipe. Talvez para tornar o pedido mais digerível, o treinador prepara a sua especialidade: o picante jambalaya.

“Eu faço cultura” em Londrina

21/05/2010

Por Ráisa Guerra

Nesta semana (do dia 18 ao dia 21 de maio) Londrina recebeu o “Eu faço Cultura”.  A temporada 2010 do projeto trouxe a cidade uma oficina de percussão gratuita, aberta a toda a comunidade. A oficina (que também tinha em sua grade a confecção de instrumentos com sucata) foi ministrada por Leonardo Barbosa, do grupo Marambaia. A semana cultural trabalhou com os participantes ritmos como choro, baião, funk, samba e afoxé.  Em seu último dia (no caso, hoje), o evento será encerrado com o show de Zé Ramalho no Centro de Exposições e Eventos de Londrina.

O  “Eu Faço Cultura” é considerado o maior projeto cultural do Brasil financiado com recursos do Imposto de Renda de Pessoa Física (IRPF). Em seu quarto ano, o projeto vai  percorrer mais de 35 cidades brasileiras.  Nos três primeiros anos de realização, o Eu Faço Cultura conseguiu atingir mais de 240 mil pessoas entre participantes das oficinas e espectadores dos shows.

E o FILO vem ai.

21/05/2010

Por Ráisa Guerra


No dia 29 de maio será lançado, oficialmente, o Festival Internacional de Londrina 2010. O evento, que irá acontecer no anfiteatro Zerão, às 19h, contará com a apresentação da cantora Ana Carolina e marca o início do festival de teatro mais antigo da América Latina (o FILO já está completando 42 anos!).

Para esta edição, que acontecerá de 10 a 27 de junho, a agenda está cheia de eventos: na programação internacional, serão 16 espetáculos de 14 grupos vindos da Europa, América do Norte e América do Sul. Nas apresentações brasileiras, serão 26 espetáculos, além da Tenda da Mostra Infantil, que será montada no Zerão e trará oito espetáculos para a criançada.

Outras atrações também estarão na agenda do Festival, como as oficinas, projetos socioculturais e palestras. A organização do evento ainda vai divulgar o cronograma dessas atividades.

Os ingressos para o FILO já estarão disponíveis no dia 29 nas bilheterias do Royal Plaza Shopping. O valor dos ingressos varia de R$ 7,50 a R$ 20,00 (dependendo do local do espetáculo e/ou do setor do teatro).

Peça "O sapato do meu tio" apresentada na 41ª edição do FILO

Para saber as relações dos espetáculos e outras informações é só acessar o site: http://www.filo.art.br.

Osuel no Ouro Verde

21/05/2010

Por Luiza Calegari

A Orquestra Sinfônica da UEL se apresenta neste domingo, no Teatro Ouro Verde, com entrada gratuita. A apresentação marca o lançamento do 30° Festival de Música de Londrina, que acontece de 10 a 25 de julho. O maestro Alessando Sangiorgi, que regerá este concerto, é titular da Orquestra Sinfônica do Paraná.