Isso não devia ter sido banalizado

Por Mariana Medeiros

Foi-se o tempo em que Copa do Mundo era um evento exclusivamente futebolístico. Hoje, ela consegue mexer com a vida das pessoas, inclusive das que não gostam tanto assim de futebol. Não sei ao certo em que categoria de torcedores eu me enquadro, já que não me considero fanática, mas costumo acompanhar o que rola no mundo dos gramados, até mesmo quando não se trata de um campeonato em proporções mundiais. Mas o fato é que durante esse período de jogos, os países envolvidos na disputa param, sim, para acompanhar as novidades.  E digo isso com a propriedade de quem não é fanática e mesmo assim não consegue perder nenhum lance.

Mas quando falo em novidades não me refiro apenas às partidas e aos resultados. A grande verdade é que o evento que está acontecendo lá na África do Sul chama a atenção para outros aspectos. Eu poderia enumerar diversos deles, mas vou me prender em apenas um: os aspectos sociais. Digo sociais no sentido de interação social, mesmo. Notícias como a de que o governo brasileiro está mandando 30 mil preservativos para serem distribuídos no país sede da Copa provam que a integração entre os torcedores vai muito bem (nada contra a campanha contra a AIDS, que fique bem claro). E isso também acontece por aqui. Existem relatos de que os jogos do Brasil estão sendo usados até mesmo como álibi para maridos infiéis traírem suas esposas.

Tá, vou acabar me perdendo, pois esse papo de interação social é muito, muito amplo e exemplos não faltam. Tenho certeza de que qualquer pessoa que não se trancou dentro de casa nos últimos dias dos jogos presenciou pelo menos uma demonstração da “socialização” entre os torcedores.  Aliás, esse tema não é específico de Copa do Mundo e no Brasil, particularmente, é apenas um pretexto para as pessoas acharem que “é carnaval” e “tudo é permitido”. Assim, vou me ater a um ponto que, pra mim, ainda é realmente novidade: a grande quantidade de modelos nos estádios. Não existem provas, mas eu acho muito estranho que uma mesma pessoa consiga se pintar inteira e torcer freneticamente pelo Brasil, num dia, e pela Alemanha no outro. Ou então ser uma alemãzinha nata num jogo e, logo após, apoiar a seleção de Portugal.

Como se não bastasse, elas são todas muito lindas e magras.  Ainda não consegui entender como algumas delas conseguem ficar com a barriga à mostra num frio que obriga até mesmo os jogadores a colocar camisas com mangas (juro, isso não é dor de cotovelo!), mas deve ter alguma explicação convincente para tudo isso. Simples coincidência – e grande quantidade de calor humano, talvez…  Confesso que tenho certa aversão a esse tipo de coisa. Claro, elas podem mesmo estar, por livre e espontânea vontade, torcendo por várias seleções. Mas ainda acho que são falsas torcedoras, pagas (sabe-se lá por quem) pra engordar e embelezar as arquibancadas.

O frio fez com que os jogadores de Espanha e Portugal usassem camisas de manga

Mas enquanto isso, na arquibancada, a bela torcedora exibia a barriga e também foi fotografada torcendo pela Alemanha

Não tenho nada contra fotografar as belas mulheres que estão por aí, mas acredito que contratar modelos para isso é o mesmo que afirmar que os países em campo não possuem suas próprias beldades. E é óbvio que isso não é verdade, já que o mundo está repleto de pessoas bonitas e esbeltas, não apenas do sexo feminino. É muito triste que até mesmo em uma competição de futebol exista esse apelo estético, como se as arquibancadas virassem uma grande vitrine, mas é ainda pior quando essa vitrine é falsa. Que as relações sociais estão um tanto quanto banalizadas, que as pessoas supervalorizam os atributos físicos ao invés dos intelectuais, eu já sabia. Mas não, falsificar torcedoras pra mim não é normal, muito menos aceitável. Espero, de coração, que essas meninas sejam apenas ingênuas vira-casacas.

Num dia, brasileiras...

... no outro, alemãs!

Anúncios
Explore posts in the same categories: Comportamento, COPA, Copa 2010

30 Comentários em “Isso não devia ter sido banalizado”


  1. […] Por Mariana Medeiros Foi-se o tempo em que Copa do Mundo era um evento exclusivamente futebolístico. Hoje, ela consegue mexer com a vida das pessoas, inclusive das que não gostam tanto assim de futebol. Não sei ao certo em que categoria de torcedores eu me enquadro, já que não me considero fanática, mas costumo acompanhar o que rola no mundo dos gramados, até mesmo quando não se trata de um campeonato em proporções mundiais. Mas o fato é que dura … Read More […]

  2. Mape Says:

    Muito bacana o texto e o flagra nestas “torcedoras”. vale tudo para aparecer na copa e tentar virar celebridade instantanea.

  3. Bruno Porciuncula Says:

    Assistindo ao Pânico no último domingo, vi que uns 80% da torcida é feita por locais. Eles estava entrevistando belas mulheres na entrada do estádio. De umas 20 entrevistadas, 16 eram sul-africanas com bandeiras e roupas/pinturas de outro país como Espanha, USA, Brasil…

    A Fifa dá ingressos de graça para muitas pessoas locais, para encher os estádios. Até pq, um ingresso de copa é caríssimo e a África do Sul tem mais desigualdades que o Brasil. E, pelo que estou vendo, deu prioridade para as beldades!

    Dito isso: a Copa tá mais bonita com essa mulherada linda!!

  4. Falcão Says:

    Beleza não tem pátria. Muié é bão di qualqué jeito.


  5. Mari, muito boa sua intervenção!
    Isso traz mais apontamentos sobre o ‘herói’ que se construiu ao longo dos tempos, não!?
    Mais uma vez os ‘heróis’ são os homens em campo. As mulheres que participam do ‘mundo futibolístico’ só ganham visibilidade quando estão nas arquibancadas e são vistas como beldades.
    Não existe essa mesma paralisação na copa do mundo de futebol feminino, por exemplo. A Marta ganhou um pequeno espaço quando o Time de Futebol Brasileiro ganhou campeonatos, mas onde estão essas mulheres heroínas agora. Onde estava a Marta nos programas comentarístas da Copa. Ela eu não vi, mas a ‘beldade’ Claudia Leite eu vi. A vi fazendo comentários quase aos prantos, pois o Brasil perdeu. Também vi fotos de Fiorella Mattheis e Barbara Evans chorando.
    Elas são as ‘beldades’ que podem participar desses momentos. Mas ‘futebol não é coisa pra homem?’, diz o discurso machista. Só não é quando o espaço cedido são para estas lindas modelos. Que foram contratadas para deixarem ‘a copa mais bonita’.
    A Copa na África deveria nos servir de análise política-social. A África tem a maior desigualdade social, a maior pobreza e a maior concentração de renda do mundo. Mas estamos ocupados demais analisando quais são as torcedoras mais bonitas. O que possivelmente irá gerar um empate, já que são sempre as mesmas que são vistas.

    Ana Soranso

    • Larissa Riquelme Says:

      Eu “descordo” do último comentário

    • Claudionor Sabença Says:

      É óbvio que campeonatos femininos de ludopédio não são tão atraentes. Mulher não sabe jogar balípodo.


      • É, caro pseudonimo Claudionor Sabença, quero ver você jogar uma pelada com Marta, Cristiane, Daniela Alves, Formiga, Pretinha, entre outras, e achar isso.
        Aposto que levará várias canetas, chapéuzinhos, lambretas, dribles da vaca, elástico, pedaladas, entre outros dribles que elas possivelmente adorarão dar em vc, só para fazer vc refletir melhor sobre suas idéias.

      • Claudionor Sabença Says:

        Não levarei “chapéuzinhos”. Chapeuzinhos, quiçá…

  6. Adamastor Pitaco Says:

    “Marta, Cristiane, Daniela Alves, Formiga, Pretinha”

    São jogadoras de futebol ou fazem parte do plantel de dançarinas de um grupo de axé??

  7. Bruna Lima Says:

    Como diria a respeitável senhora Rita Lee “sou mais macho que muito homem”…

    “homens” que acham que só por terem os cromossomos XY em sua genética podem ser considerados machos de verdade.
    “homens” que, em sua maioria, não conseguem jogar 15% do futebol de Marta, Cristiane e outras representantes do futebol brasileiro já citadas.
    “homens” que insistem em adotar uma postura machista e de confronto em qualquer situação, seja por pura imaturidade ou pelo simples “prazer” de se opor contra quem ou o que lhes parecer oportuno.
    “homens” que gostam de demonstrar sua superioridade em público, mas quando se sentem inferiores ou quando percebem a oportunidade se escondem até por trás do “anonimato”.

    Esse tipo de “homem” eu, pelo menos, vejo quase todos os dias. Já os homens de verdade também posso dizer que conheço, embora em menor quantidade, e digo que se tem alguma coisa que ainda orgulha o sexo masculino são alguns desses homens de verdade.

    Podem um pouco a arrogância e a postura preconceituosa (não só com as mulheres), amiguitos.

  8. ana Says:

    Bruna, só para complementar, como diz um amigo meu:

    “Nada causa mais horros à ordem que mulheres que lutam e sonham”
    José Martí

  9. Zé Bonitinho Says:

    Mulher é como relógio: deu o primeiro defeito, nunca mais anda direito.

  10. Rodolfo Rodrigues Says:

    Mulher é como abelha: ou dá mel ou ferroada.

  11. ana Says:

    Ah!Esse é para o óbvio, axiomático, claro, evidente, intuitivo, manifesto e nada obscuro Claudionor Sabença

    Dê-me um cigarro
    Diz a gramática
    Do professor e do aluno
    E do mulato sabido
    Mas o bom negro e o bom branco
    Da Nação Brasileira
    Dizem todos os dias
    Deixa disso camarada
    Me dá um cigarro

    Oswald de Andrade

  12. Falcão Caminhoneiro Says:

    Mulher é como lona de freio: só é boa encostada.

  13. Zezinho da Feira Says:

    Me vê um pastel de palmito

  14. Pederneiras Says:

    Essas, mais de mesa. Aqui do lado, aqui nós temos… aaaaaaaaiiiiiiii aaaaaaaaaaaaaaiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii!!!

  15. Cléber Machado Says:

    “Marta, Cristiane, Daniela Alves, Formiga, Pretinha”

    Mas… formiga joga futebol, Falcão?

  16. Carlos Blanka Says:

    grrrrr

  17. Sr. Abravanel Says:

    “Nada causa mais horror à ordem que mulheres que lutam para ser homens e sonham em ser machos”

    Jorge Lafond


  18. É, talvez! Mas isso, claro, se eles não fizerem parte da maioria absoluta da nação brasileira. Caso não tenha compreendido, indico um link:

    Também indico um outro link para que você conheça melhor o processo histórico de construção do ‘herói’ burgês.
    Uma boa explicação, baseada em elementos históricos e teorias, ao contrário de ‘discórdias’ em cima de ‘achismos’.
    Pare de ler dicionários e vá produzir conhecimento, pois ter um bom vocábulo e não ter o que dizer de nada vale!

    http://books.google.com.br/books?id=PzBY-1eq4aoC&pg=PP39&lpg=PP39&dq=o+sistema+tragico+coercitivo+de+aristoteles&source=bl&ots=UHiBu7lFQH&sig=wqABuXNDPvQNnJZUGLOkSvUZqeE&hl=pt-BR&ei=zHk2TK6BJsH58AaZ3KmDDA&sa=X&oi=book_result&ct=result&resnum=4&ved=0CCQQ6AEwAw#v=onepage&q&f=false

  19. Gabriel Says:

    Eu não sabia que chapéu tinha perdido o acento. Acho que o manual da Nova Ordem Gramatical que possuo esta errado.

    • Aurélio Says:

      Sim, estÁ errado. E, pelo visto, no seu manual o “está” também perdeu o acento.

    • Claudionor Sabença Says:

      Então o seu manual da Nova Ordem Gramatical não especifica que, em diminutivos de palavras como chapéu, pé, entre outras, o vocábulo se torna paroxítona, sendo a sílaba tônica o ZI, dispensando assim o uso do acento, não utilizado em sílabas átonas. Pezinho, chapeuzinho, robozinho… e assim por diante.

  20. Dr. Piano Says:

    É, o diagnóstico é preciso: só está tocando uma nota. Sempre.

    Conserto teclados e pianos.
    8822-1133

  21. Ian Gillian Says:

    How did you lose your ____________ Mary Long?


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: